Graduação em Ciência da Informação
  • Ciência da Informação oferece cursos de verão para comunidade acadêmica

    Publicado em 06/11/2018 às 16:43

    Ciência da Informação oferece cursos de verão para comunidade acadêmica


  • CURSOS DE VERÃO EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

    Publicado em 06/11/2018 às 16:40

    O Departamento de Ciência da Informação (http://cin.ced.ufsc.br/)  oferece Cursos de Verão em 2019, sob a forma de 3  disciplinas que podem ser cursadas pelos alunos da UFSC de qualquer curso. Os interessados deverão fazer um registro prévio na secretaria integrada de Ciência da Informação na Sala 105 – Bloco B, do CED. Fone: 3721.4075 ou 3721.3065.

    A disciplina CIN7903 – Inteligência Competitiva  será oferecida de 4  a 14  de Fevereiro de 2019 no horário: 8h20 às 11h50 – LABPREV, 2o andar do Bloco D (CED).

    EMENTA: Conceito de inteligência competitiva. Conceitos de dado, informação, inteligência e conhecimento. O processo de IC: gestão estratégia de atuação da organização; necessidades de informação da organização; coleta de informação; análise das informações.

    A disciplina CIN7933 – Gestão da Inovação  será oferecida dos dias 18 – 28 de fevereiro das 08h30 às 12h00 – LABPREV

    EMENTA: Inovação. Gestão da Inovação. Serviços de informação no suporte à gestão da inovação. Inovação aplicada à tecnologia, serviços e unidades de informação.

    A disciplina CIN7905  Teoria da Decisão  será oferecida de 18 a 28 de Fevereiro das 18h30 às 22h00 – LABPREV

    EMENTA: Teoria da decisão, modelos de decisão; modelagem qualitativa; árvores de decisão, agentes de decisão, análise multicritério; Processo cognitivo e tomada de decisão; Heuristicas de solução de problemas. Sistemas especialistas e sistemas baseados em conhecimento. Introdução às tecnologias de suporte à decisão.


  • Santa Catarina pode se tornar referência mundial no setor de inovação até 2030

    Publicado em 11/10/2018 às 17:47

    “O avanço acelerado de inovações disruptivas ou não no mundo digital e fora dele exige atitude pró-ativa para sobreviver e ampliar negócios. Para a maioria das cerca de 40 entidades que integram o Pacto pela Inovação de Santa Catarina, o Estado, que já é referência nacional, tem condições de ir além e se tornar um dos melhores do mundo no setor até 2030, ou seja, daqui a apenas 11 anos.”

    (Foto: Marco Favero/Diário Catarinense )

    (Foto: Marco Favero/Diário Catarinense )

    Leia mais em: https://www.nsctotal.com.br/colunistas/estela-benetti/santa-catarina-pode-se-tornar-referencia-mundial-no-setor-de-inovacao-ate


  • Empresas de tecnologia estão com 320 vagas abertas em SC

    Publicado em 18/09/2018 às 19:36
    Empresas de tecnologia estão com 320 vagas abertas em SC Leo Munhoz/Diário Catarinense
    Foto: Leo Munhoz / Diário Catarinense

    Empresas privadas do segmento de tecnologia em Santa Catarina estão com mais de 320 vagas abertas, 100 delas em apenas uma empresa. Em todo o Estado, o setor tem 12,3 mil empresas, com mais de 16 mil empreendedores e cerca de 47 mil funcionários.

    Leia mais em http://dc.clicrbs.com.br/sc/estilo-de-vida/noticia/2018/09/empresas-de-tecnologia-estao-com-320-vagas-abertas-em-sc-10585938.html


  • Curso de Ciência da Informação atende demanda do setor de inovação de Florianópolis

    Publicado em 24/08/2018 às 19:38

    Salas cheias de computadores, impressoras e monitores de última geração, onde o som de toques no teclado quebra o silêncio e o aroma de café expresso contagia o ar. Segundo dados da prefeitura de Florianópolis, esse tipo de ambiente é característico da capital catarinense, que vem se consolidando como polo de empresas de base tecnológica, contando com cerca de 600 empresas de software, hardware e serviços de tecnologia. Incentivada pela Lei Municipal de Inovação, a cidade criou, em 2018, a Rede Municipal de Centros de Inovação, iniciativa pioneira no país, na qual quatro centros de inovação passam a ter a chancela do poder público municipal, contando com recursos do Fundo Municipal de Inovação.

    Para este cenário, A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) fornece profissionais para a área, através de cursos como Ciências da Computação, Engenharia da Computação, Sistemas de Informação e o mais recente, Ciência da Informação, fundado em 2015, a fim de atender uma demanda específica desses polos.

    “O curso de Ciência de Informação nasceu de uma necessidade de atender ao entorno, que carece de profissionais da informação, demandando cerca de 6.000 empregos no setor em Florianópolis. A universidade já contava com cursos na área da Tecnologia da Informação (TI), mas ainda não tinha uma graduação que juntasse gestão e TI”, explica o coordenador do curso de Ciência da Informação da UFSC, William Vianna.

     Profissão

    O cientista da informação — como é conhecido o profissional de Ciência da Informação —, ajuda o tomador de decisão a selecionar a informação relevante para a empresa, no campo digital,  para ser usada no contexto de inovação e tecnologia. “A informação é algo muito fluído. Então a Ciência da Informação analisa todas suas etapas, desde quando é criada até quando é disponibilizada, em diferentes perspectivas. Para isso, o profissional usa recursos de estatística, programação, comportamento social e psicologia”, revela William.

    Ainda segundo o coordenador,  as redes sociais são grandes aliadas para a profissão: “É possível encontrar padrões, por exemplo, em discursos de ódio em comentários de publicações de páginas, e assim, desenvolver uma política de prevenção. Também podemos identificar robôs e fake news (notícias falsas) nas redes.”

    Currículo e estrutura

    Classificado na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) como área de Ciência da Comunicação e Informação, o curso, composto por 6 semestres, tem uma base em conjunto com as graduações em Arquivologia e Biblioteconomia. Nos primeiros quatro semestres, os graduandos estudam temas como tratamento de documentação, gerenciamento de documentos, indexação de imagens e textos e depois, no último ano, ele pode optar por seguir em disciplinas de gestão ou tecnologia da informação. A área de gestão é destinada para quem deseja trabalhar com gerenciamento e integração de áreas diferentes, como programação e design. É um profissional  para gerenciar áreas multidisciplinares, que tem na formação matérias como gerenciamento de projeto e liderança. Já quem escolhe a área de tecnologia, atua diretamente em linhas de código, através de uma formação com disciplinas de integração de sistemas, programação e aplicativos.

    O departamento conta com 6 laboratórios. Atualmente, a coordenação está negociando com a UFSC a possibilidade de uma unidade física independente do Centro de Ciências da Educação (CED), onde o curso está integrado. As disciplinas podem ser cursadas no período matutino e noturno, com matérias optativas à tarde.  O currículo também conta com duas disciplinas obrigatórias que atendem à comunidade, chamadas Interação Comunitária I e II  — a primeira destinada a atender uma escola pública e a segunda uma comunidade de baixa renda. Também há o projeto de extensão cybercidadania, que usa uma plataforma digital para aproximar a universidade de uma escola estadual, através da disponibilização da literatura que cai no vestibular, além de materiais de apoio.

    Wiliam Vianna, coordenador do curso de Ciência da  Informação. Foto: Ítalo Padilha

    Mercado de trabalho em Florianópolis

    O mercado de trabalho é amplo. Existem alunos que já trabalham em startups de moda e simulação de ambientes,  usinas de energia, marketing de redes sociais, governança de T.I, gestão de projetos de T.I, Ministério Público Federal e repartições públicas e privadas. Mesmo com foco em tecnologias, as oportunidades vão além: “Onde tem informação, pessoas e máquinas, o profissional pode ter lugar”, lembra William.

    Outra área de destaque que o profissional pode se inserir é a de Big Data, mercado que movimentou 1,35 bilhão de dólares no Brasil em 2017, segundo pesquisa da empresa Frost & Sullivan. O setor requer análise qualitativa da informação, através da interpretação e organização de números, uma das funções do cientista da  informação.

    Perspectiva dos alunos

    Larissa Christine, 19 anos, é aluna da segunda fase e atualmente é estagiária da empresa de software Softplan. Ela revela como conheceu o curso, época em que cursava Economia: “Conheci a Ciência da Informação por acidente. Eu estava procurando alunos da UFSC para ajudar em um projeto para dispositivo móvel e encontrei a página do curso. Então troquei de graduação”.

    A graduanda também aponta suas expectativas com a trajetória acadêmica : “Quero buscar conhecimentos tanto técnicos quanto práticos. Vejo o curso mais como formação do que profissão, pois é uma área multidisciplinar que abre leque para especialização com muitos enfoques diferentes. Cabe ao aluno estudar por fora e ir se especializando no âmbito que deseja trabalhar”.

    Larissa também ressalta os desafios do curso, por conta de ser recente: “Devido a ser uma graduação nova, ainda há pontos a desenvolver em questão de disciplinas abordadas e como são abordadas, mas o pessoal é muito colaborativo. Os alunos conversam bastante entre si, divulgando eventos que podem ser úteis para a formação, além de vagas de emprego. E quem já está no mercado, vai divulgando a proposta do curso no local de trabalho”.

    Lucas Bastos, 25 anos, está na última fase do curso e ingressou na primeira turma de Ciência de Informação da UFSC. “Na época eu queria algo que tivesse a ver com tecnologia, mas não queria fazer Sistemas da Informação. A proposta do curso parecia ser interessante, pois eu estava acompanhando que o setor de tecnologia estava crescendo em Florianópolis”, lembra Lucas.

    Quanto ao caminho trilhado no currículo, ele busca o equilíbrio: “Acho bom entender as duas áreas de especialização (gestão e T.I). Eu prefiro a parte de gestão, mas já fiz algumas optativas de programação, então tento mesclar os dois lados.”

    Prestes a encarar o mercado de trabalho como formado, ele o define como um campo ainda a ser desbravado: “Estamos aperfeiçoando competências que se encaixam no que eles querem. Tenho colegas se dando bem na área de marketing e sistemas de inovação. Quem geralmente vai atrás de uma área específica consegue. Como somos os primeiros do curso, estamos construindo a trilha.”

    Alan Christian /estagiário de Jornalismo da Agecom/UFSC


  • Horários 2018.2 Núcleo Específico

    Publicado em 21/06/2018 às 22:19

    CINFO – Horário Núcleo Específico 2018.2 (21-jun)


  • CONSULTA PÚBLICA: Criação do Instituto de Ciência da Informação

    Publicado em 11/06/2018 às 14:30

    Trata o presente de PARECER PRELIMINAR acerca das demandas de funcionamento das atividades de Ciência da Informação frente à sua expansão, seguida de uma EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS para a criação de uma nova Unidade Acadêmica Universitária, na modalidade de um Instituto de Ciência da Informação, submetida à Consulta Pública.

    Convidamos a comunidade interna e externa da UFSC a participar da discussão sobre a criação do Instituto de Ciência da Informação na UFSC, uma nova unidade acadêmica e administrativa, equivalente a um Centro de Ensino, sem departamentos, em vista da desburocratização, eficiência, economicidade e maior aproximação da atividade-fim.

    Texto: CONSULTA PÚBLICA – Instituto de Ciência da Informação

    Contribuições e sugestões até 26/06 para: cin@contato.ufsc.br


  • O primeiro curso de graduação em Ciência da Informação do Sul do País

    Publicado em 18/04/2018 às 15:08

    CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO
    A Ciência da informação é um campo interdisciplinar principalmente preocupado com a análise, coleta, classificação, manipulação, armazenamento, recuperação e disseminação da informação; estuda a informação desde a sua gênese até o processo de transformação de dados em inteligência.

  • Duração do curso: 3 anos
  • Turno: integral (com disciplinas no matutino, vespertino e noturno)